Lâmpadas LED, fluorescentes e incandescentes: conheça as diferenças entre cada modelo

28 de Agosto de 2019

A escolha de lâmpadas é determinante para o sucesso de projetos de iluminação em longo prazo. Conforto térmico, capacidade de dimmerização, potência e custo-benefício são aspectos que devem ser levados em conta na hora de montar seu projeto elétrico.

Lâmpadas incandescentes

As lâmpadas incandescentes funcionam através do aquecimento de um filamento metálico, que incandesce, convertendo a energia elétrica que recebe em calor e luz. Por produzir muito mais calor que luz, a lâmpada incandescente exige muito mais energia para iluminar determinado ambiente do que outros tipos de lâmpadas. A temperatura também compromete a vida útil do item, que dura somente por cerca de mil horas de funcionamento.

Por não atender requisitos mínimos de eficiência previstos por uma portaria do governo brasileiro, esse modelo parou de ser comercializado em julho de 2016.

Lâmpadas fluorescentes

Já a lâmpada fluorescente produz luz através da passagem de corrente elétrica por gases dentro dos tubos da lâmpada. Esse modelo é mais eficiente que as lâmpadas incandescentes, consumindo 15W para iluminar na mesma intensidade de uma incandescente de 60W, além de apresentar maior durabilidade, que varia entre 3 mil e 10 mil horas.

A principal desvantagem da fluorescente é seu material de fabricação: a lâmpada tem mercúrio e chumbo em sua composição, materiais nocivos ao corpo humano e ao meio ambiente. Caso a lâmpada quebre, o vapor tóxico destas substâncias é inalado, podendo causar intoxicação. Nesses casos, é recomendado que o material seja recolhido com o uso de luvas e máscaras, e os fragmentos restantes sejam removidos com papel toalha umedecido.

Lâmpadas LED

Fabricada com materiais seguros e com baixo consumo de energia, a lâmpada LED está se popularizando como alternativa ecológica, eficiente aos outros tipos disponíveis no mercado.

Destaca-se também pela versatilidade: LEDs estão disponíveis em várias tonalidades, que variam de tons frios e quentes de branco, ou em modelos coloridos. Além disso, a lâmpada tem modelos específicos que podem ser dimmerizados, e, por não envolver aquecimento no processo de iluminação, é termicamente segura, podendo se adaptar a ambientes residenciais, comerciais e industriais.

Apesar de serem mais caras que as lâmpadas fluorescentes, o custo benefício da LED se encontra na durabilidade do item, que tem vida útil de 20 mil a 30 mil horas.